Notícias

Bandeirantes Logística aposta no pioneirismo e oferece soluções diferenciadas aos clientes

A Bandeirantes resolveu inovar e iniciar a 8ª década de existência com muitas mudanças. Investiu pesado nessa reestruturação. Resolveu se reinventar. A primeira atitude foi mudar a sua identidade visual. Para se modernizar, foi preciso mudar o logotipo, que agora está arrojado. As cores novas são modernas, as novas metas e filosofias também acompanham a tendência dessa fase. Todo esse processo é encabeçado pelo novo diretor comercial, Marcel Vilchez. “Faremos uma integração entre as unidades, estamos repaginando a empresa. Chegaremos aos 80 anos rejuvenescidos, com uma nova filosofia, cultura, valores”, garante.

Essas mudanças foram naturais após a reestruturação no corpo gerencial e diretorial. Novos talentos assumiram cargos importantes na empresa e montaram um plano para permitir que ela voltasse ao patamar de competitividade no mercado portuário.

Pessoas com anos de experiência em outras companhias se uniram com um só objetivo: oferecer o melhor de seu conhecimento na área para aumentar o volume de negócios. E em pouco mais de 3 meses, esses talentos superaram as expectativas mais otimistas nesse processo! “Eu e minha equipe vimos a oportunidade de adotar um projeto de reformulação mais amplo, já vislumbrando a curto e médio prazo a situação do porto de Santos com relação aos terminais alfandegados”.

Mas, as mudanças não param por ai. A Bandeirantes decidiu apostar no pioneirismo e oferecer uma solução que vários terminais já identificaram ser necessária, mas até agora ninguém teve a coragem de implantar. “Nós vamos levar o porto para São Paulo”, afirma Vilchez.

Tudo isso já está sendo realizado com sucesso, além de taxa de aprovação de quase 100% dos clientes. É uma maneira de agilizar o processo de importação e exportação do commoditie. E o melhor:, sem mexer no bolso do cliente. Custo zero, em contras palavras.  “A Bandeirantes precisava passar por isso porque a gente enxergou uma oportunidade para o futuro. Vamos fugir, nos contrapor à comoditização das tarifas de armazenagem porque queremos ser diferentes.”.

 

Empresa se antecipa aos problemas da ampliação do Porto de Santos

O Porto de Santos, o maior do Brasil, é responsável por pelo menos 17% da balança comercial do País. E o que isso quer dizer? Que passam por ele cerca de 70% de tudo que entra e sai do Brasil. Os outros trinta por cento são portos menores e aeroportos.

A cada ano a movimentação no cais santista aumenta. Só em 2013, a marca já ultrapassa os 75 milhões de toneladas. Oito milhões a mais que o ano passado.

Com isso, as taxas para exportação e importação também costumam aumentar. Os transtornos no sistema de transporte terrestre também, além de inúmeros outros imprevistos. Tudo isso faz o custo do micro e pequeno importador subir. É justamente aí que a Bandeirantes entra com uma prestação de serviço diferenciada.

“Somos favorecidos por nossa estrutura, temos condições de customização dos processos, de oferecer o que ninguém no porto consegue e, num mercado tão competitivo, isso fará toda a diferença.”, garante. É possível, em um único contêiner, que mais de um cliente possa exportar as mercadorias com um custo acessível, já que o isenta da obrigatoriedade do fretamento exclusivo.

Sem falar da tranquilidade do transporte, seja ele na margem direita do cais, na cidade de Guarujá, Santos ou São Paulo. Com esse projeto, em um único caminhão são transportadas mercadorias de diversos clientes, reduzindo assim o número de veículos nas rodovias, diminuindo a emissão de gás carbônico e otimizando tempo de chegada ao terminal ou ao depósito. De acordo com o diretor comercial, a nova equipe trouxe a Bandeirantes “de volta ao pioneirismo de outra época, porém pensando em crescimento sustentável, com estratégias muito bem definidas de curto, médio e longo prazo”.

Na maior capital do país, a mercadoria terá segurança total ao ser mantida em um armazém com mais de 18 mil metros quadrados, quase totalmente coberto, próprio, com licenças de todos os órgãos responsáveis – portanto, possibilitando a chegada de qualquer tipo de carga, de tecnologia aos artigos de alimentação. A carga ficará à disposição do cliente em uma localização privilegiada, facilitando a retirada dos produtos e o transporte ao seu destino final, seja ele na capital ou no interior. O depósito da Bandeirantes fica na Moóca, rota privilegiada para as principais rodovias do interior paulista e das mais importantes avenidas paulistanas.

 

Solução para os congestionamentos e suas consequências

Só neste ano foram registrados mais de cinco grandes  congestionamentos que chegaram ao planalto. Mercadorias com prazo curto para deixar o cais ficaram emperradas. Isso gerou transtornos, atrasos, prejuízos ao cliente.

Além de evitar que as mercadorias fiquem paradas na estrada, implicando em custos extras, a Bandeirantes já oferece a facilidade de ter os contêineres levados direto para a capital. Além de agregar um serviço oferecido por transportadoras, a Bandeirantes apresenta a solução a custo zero para o cliente, ou seja, sem cobrança de frete. “Nossa operação hoje já virou referência. Com certeza temos a operação mais rápida e limpa do mercado, garantido os prazos acordados e com quase nenhuma burocracia”, afirma Vilchez.

São soluções imediatas para o futuro promissor do cais santista, já que a expectativa para 2014 é quase duplicar a movimentação conteinerizada. A companhia aposta em atendimento customizado agregado à velocidade na entrega das cargas fracionadas. “Temos toda estrutura própria, trabalhando no mesmo sentido e com o mesmo objetivo. Sou único no mercado com essa condição.”

Dessa forma a empresa alia a tradição de mercado – afinal, são quase 80 anos atendendo com excelência os clientes – à agilidade do futuro empreendedor. É exatamente isso que o Porto de Santos precisa. E o mercado procura.

 

Capa Face_Bandeirantes-07

13 3131-4500